A escrever nas nuvens
comentar
publicado por Girassol, em 31.07.08 às 18:57link do post | favorito

Acabei de receber por e-mail...


 

Extracto de uma escuta telefónica (Daquelas que existem mas ninguém sabe ou conhece ou são permitidas...)

 
- Tou??? Mariano Gago? É o Zé Sócrates. Oh, pá, ajuda-me aqui, porque o meu curso de informática foi tirado na Independente e o professor faltava muito. 
- Comprei um computador, mas não consigo entrar na Internet! Estará fechada?
- Desculpa?....
- Aquilo fecha a que horas?
- Zé, meteste a password?
-Sim! Quer dizer, copiei a do *Freitas*.
- E não entra?
- Não, pá!
- Hmmm....deixa-me ver... qual é a password dele?
- Cinco estrelinhas...
- Oh, Zé!... Fooood****.... Bom, deixa lá agora isso, depois eu explico-te. E o resto, funciona?  
- Também não consigo imprimir, pá! O computador diz: 'Cannot find printer'!
Não percebo, pá, já levantei a impressora, pu-la mesmo em frente ao Monitor e o gajo sempre com a p**** da mensagem, que não consegue encontrá-la, pá!  
- Fooood****.... Vamos tentar isto: desliga e torna a ligar e dá novamente ordem de impressão.  
Sócrates desliga o telefone. Passados alguns minutos torna a ligar.
- Mariano, já posso dar a ordem de impressão?
- Olha lá, porque é que desligaste o telefone?
- Eh, pá! Foste tu que disseste, estás doido ou quê?

- Fooood****.... Dá lá a ordem de impressão, a ver se desta vez resulta.
- Dou a ordem por escrito? É um despacho normal?
- Oh, Zé... Fooood****.... Eh, pá! esquece.... Vamos fazer assim:
Clica no 'Start' e depois...
- Mais devagar, mais devagar, pá! Não sou o Bill Gates...
- Se calhar o melhor ainda é eu passar por aí... Olha lá, e já tentaste enviar um mail?  
- Eu bem queria, pá! Mas tens de me ensinar a fazer aquele circulozinho em volta do 'a'.
- O circulozinho... pois.... Bom... vamos voltar a tentar aquilo da impressora.
Faz assim: começas por fechar todas as janelas, Ok?
Espera aí...Zé?...estás aí?
- Pronto, já fechei as janelas. Queres que corra os cortinados também?
- Fooood****.... Zé.... Senta-te, OK? Estás a ver aquela cruzinha em cima, no lado direito?  
- Não tenho cá cruzes no Gabinete, pá!...
- Fooood****.... Fooood****.... Fooood****.... Zé, olha para a p**** do monitor e vê se me consegues ao menos dizer isto: o que é que diz na parte debaixo do écran?  
- Samsung.
- Eh, pá! Vai pró....caaaara****************...
-Mariano?...Mariano?...'Tá lá?...poooor*************** o que é que lhe deu?...
Desligou.... E agora como é que eu ponho isto a funcionar?....
 
Click...

 
 
tags:
sinto-me:
música: James - Getting Away With It (All Messed Up)

comentar
publicado por Girassol, em 24.07.08 às 19:05link do post | favorito

Um português estava calmamente sentado num café a tomar o seu pequeno almoço, quando um espanhol, a mastigar pastilha elástica se senta ao seu lado.

O português ignora o espanhol, que não se conforma e começa a puxar conversa:

Espanhol: - Comes esse pão inteirinho?

Português (de mau humor):- Claro.

Espanhol: - Nós não. Nós comemos só o miolo; a côdea juntamos num contentor depois processamos, transformamos em croissants e vendemos para Portugal.

O Português ouve calado.

O Espanhol insiste: - Tu comes esta geleia com o pão?

Português: - Claro.

Espanhol: - Nós não. Nós comemos frutas frescas com o café da manhã, mandamos todas as cascas e sementes para contentores, depois transformamos em geleia e vendemos para Portugal.

Português: - E o que é que vocês fazem com os preservativos depois das relações sexuais?

Espanhol: - Deitamos fora, claro!

Português: - Nós não. Vamos guardando tudo em contentores, processamos, transformamos em pastilhas elásticas e vendemos para Espanha.

tags:
sinto-me:
música: TAXI - Chiclete

comentar
publicado por Girassol, em 10.06.08 às 10:35link do post | favorito

 

tags:
sinto-me:
música: Whiter Shade of Pale - Annie Lennox

comentar
publicado por Girassol, em 17.04.08 às 18:55link do post | favorito

 

 

sinto-me:
música: Bizet - Carmen

comentar
publicado por Girassol, em 24.01.08 às 10:25link do post | favorito

Hélio dos Passos

 

 

sinto-me:
música: Hélio dos Passos - Fica Comigo Agora

comentar
publicado por Girassol, em 17.12.07 às 10:57link do post | favorito

Carlos Barreira da Costa, médico Otorrinolaringologista da cidade do Porto, decidiu compilar no seu livro "A Medicina na Voz do Povo", com o inestimável contributo de muitos colegas de profissão, trinta anos de histórias, crenças e dizeres ouvidos durante o exercício desta peculiar forma de apostolado que é a prática da medicina. E dele não resisti a extrair verdadeiras jóias deste tão pouco conhecido léxico que decidi compartilhar convosco.

O diálogo com um paciente com patologia da boca, olhos, ouvidos, nariz e garganta é sempre um desafio para o clínico:
"A minha expectoração é limpa, assim branquinha, parece com sua licença espermatozóides".
"Quando me assoo dou um traque pelo ouvido, e enquanto não puxar pelo corpo, suar, ou o caralho, o nariz não se destapa".
"Não sei se isto que tenho no ouvido é cera ou caruncho".
"Isto deu-me de ter metido a cabeça no frigorífico. Um mês depois fui ao Hospital e disseram-me que tinha bolhas de ar no ouvido".
"Ouço mal, vejo mal, tenho a mente descaída".
"Fui ao Ftalmologista, meteu-me uns parafusinhos nos olhos a ver se as lágrimas saíam".
"Tenho a língua cheia de Áfricas".
"Gostava que as papilas gustativas se manifestassem a meu favor".
"O dente arrecolhia pus e na altura em que arrecolhia às imidulas infeccionava-as".
"A garganta traqueia-me, dá-me aqueles estalinhos e depois fica melhor".

As perturbações da fala impacientam o doente:
"Na voz sinto aquilo tudo embuzinado".
"Não tenho dores, a voz é que está muito fosforenta".
"Tenho humidade gordurosa nas cordas vocais".
"O meu pai morreu de tísica na laringe".

Os "problemas da cabeça" são muito frequentes:
"Há dias fiz um exame ao capacete no Hospital de S. João".
"Andei num Neurologista que disse que parti o penedo, o rochedo ou lá o que é...".
"Fui a um desses médicos que não consultam a gente, só falam pra nós".
"Vem-me muitos palpites ruins, assim de baixo para cima...".
"A minha cabecinha começa assim a ferver e fico com ela húmida, assim aos tombos, a trabalhar".
"Ou caiu da burra ou foi um ataque cardeal".

Os aparelhos genital e urinário são objecto de queixas sui generis:
"Venho aqui mostrar a parreca".
"A minha pardalona está a mudar de cor".
"Às vezes prega-se-me umas comichões nas barbatanas".
"Tenho esta comichão na perseguida porque o meu marido tem uma infecção na ponta da natureza".
"Fazem aqui o Papa Micau (Papanicolau)?"
"Quantos filhos teve?" - pergunta o médico. "Para a retrete foram quatro, senhor doutor, e à pia baptismal levei três".
"Apareceu-me uma ferida, não sei se de infecção se de uma foda mal dada".
"Tenho de ser operado ao stick. Já fui operado aos estículos".
"Quando estou de pau feito... a puta verga".
"O Médico mandou-me lavar a montadeira logo de manhã".

As dores da coluna e do aparelho muscular e esquelético são difíceis de suportar:
"Metade das minhas doenças é desfalsificação dos ossos e intendência para a tensão alta".
"O pouco cálcio que tenho acumula-se na fractura".
"Já tenho os ossos desclassificados".
"Alem das itroses tenho classificação ossal".
"O meu reumatismo é climático".
"É uma dor insepulcrável".
"Tenho artroses remodeladas e de densidade forte".
"Estou desconfiado que tenho uma hérnia de escala".

O português bebe e fuma muito e desculpa-se com frequência:
"Tomo um vinho que não me assobe à cabeça".
"Eu abuso um pouco da água do Luso".
"Não era ébrio nato mas abusava um pouco do álcool"
"Fujo dos antibióticos por causa do estômago. Prefiro remédios caseiros, a aguardente queimada faz-me muito bem".
"Eu sou um fumador invertebrado".

O aparelho digestivo origina sempre muitas queixas:
"Fui operado ao panquecas".
"Tive três úlceras: uma macho, uma fêmea e uma de gastrina".
"Ando com o fígado elevado. Já o tive a 40, mas agora está mais baixo".
"Eu era muito encharcado a essa coisa da azia".
"Senhor Doutor a minha mulher tem umas almorródias que com a sua licença nem dá um peido".
"Tenho pedra na basílica".
"O meu marido está internado porque sangra pela via da frente e pinga pela via de trás".
"Fizeram-me um exame que era uma televisão a trabalhar e eu a comer papa".
"Fiz uma mamografia ao intestino".
"O meu filho foi operado ao pence (apêndice) mas não lhe puseram os trenos (drenos), encheu o pipo e teve que pôr o soma (sonda)".

Os medicamentos e os seus efeitos prestam-se às maiores confusões:
"Ando a tomar o Esperma Canulado"- Espasmo Canulase
"Tenho cataratas na vista e ando a tomar o Simião" - Sermion
"Andei a tomar umas injecções de Esferovite" - Parenterovit
"Era um antibiótico perlim pim pim mas não me fez nada" - Piprilim
"Agora estou melhor, tomo o Bate Certo" - Betaserc
"Tomo o Sigerom e o Chico Bem" - Stugeron e Gincoben
"Ando a tomar o Castro Leão" - Castilium
"Tomei Sexovir" - Isovir
"Tomo uma cábulas à noite".
"Tomei uns comprimidos "jaunes", assim amarelados".
"Tomo uns comprimidos a modos de umas aboborinhas".
"Receitou-me uns comprimidos que me põem um pouco tonha".
"Estava a ficar com os abéticos no sangue".
"Diz lá no papel que o medicamento podia dar muitas complicações e alienações".
"Quando acordo mais descaída tomo comprimidos de alta potência e fico logo melhor".
"Ó Sra. Enfermeira, ele tem o cu como um véu. O líquido entra e nem actua".
"Na minha opinião sinto-me com melhores sintomas".

O que os doentes pensam do médico:
"Também desculpe, aquela médica não tinha modinhos nenhuns".
"Especialista, médico, mas entendido!".
"Não sou muito afluente de vir aos médicos".
"Quando eu estou mal, os senhores são Deus, mas se me vejo de saúde acho-vos uns estapores".
"Gosto do Senhor Doutor! Diz logo o que tem a dizer, não anda a engasular ninguém".
"Não há melhor doente que eu! Faço tudo o que me mandam, com aquela coisa de não morrer".

Em relação ao doente o humor deve sempre prevalecer sobre a sisudez e o distanciamento. Senão atentem neste "clássico":
"Ó Senhor Doutor, e eu posso tomar estes comprimidos com a menstruação?
Ao que o médico retorque: "Claro que pode. Mas se os tomar com água é capaz de não ser pior ideia. Pelo menos sabe melhor."

tags:
sinto-me:
música: Crazy - Gnarls Barkley

comentar
publicado por Girassol, em 12.12.07 às 17:10link do post | favorito

 

 

Se neste blog já postei sobre um vídeo do magnifico Gunther não poderia deixar de vos mostrar esta paródia feita pela Rádio+.

 

sinto-me:
música: Gigolo - Gunther (paródia)

comentar
publicado por Girassol, em 07.12.07 às 16:47link do post | favorito

Mais um caso insólito mas verídico (continuação do post com o mesmo nome):

Requeri a uma Colega que juntasse cópia integral de um contrato de mútuo e ela responde-me nos seguintes termos :


“ Relativamente ao contrato de mútuo nº ........ – Empréstimo pessoal de € .......... junto do ....... – refere o Requerente que não possui cópia do referido contrato, pela simples razão que nunca existiu. O único elemento que tem é o documento que foi junto (plano de pagamento com as CARACTERÍSTICAS do mesmo, fornecido aquando a concessão do empréstimo.).” (sublinhado nosso).


Pelo que tive de, em novo requerimento, solicitar esclarecimentos à Ilustre colega:

(...)

Assim, face ao exposto estamos perante uma abissal contradição.

(...)

 Se não vejamos,

(...) Como pode vir o requerente afirmar que nunca existiu o aludido contrato de mútuo se de seguida refere que o plano de pagamento com as características do mesmo foi fornecido aquando a concessão do empréstimo!!!???

(...)

A nunca ter existido o aludido contrato de mútuo,

(...)

Como tem o Requerente na sua posse um documento emitido pelo ...... (sucursal ......) atribuindo explicitamente o número ........ao contrato de mútuo,

(...)

E referenciando o montante do empréstimo, a taxa nominal, o prazo da concessão, a data de início do contrato, a TAEG, a moeda do empréstimo e o plano de pagamentos!!!???


Aguardo as cenas do próximo capítulo.


 

sinto-me:
música: Relax take it easy - Mika

comentar
publicado por Girassol, em 07.12.07 às 11:17link do post | favorito

Gaffes na RTP

 

Gafes Jornalisticas

 

noticiarios gafes

 

APANHADOS RTP 2

 

 

 

tags:
sinto-me:
música: Don't worry be happy - Bobby Mcferrin

comentar
publicado por Girassol, em 24.11.07 às 18:16link do post | favorito

23 de Novembro de 2007 , por Rui Oliveira Marques

 

tagus.jpg

A última campanha da cerveja Tagus, que apresenta o Orgulho Hetero como conceito de comunicação para formar uma comunidade online, originou uma queixa no ICAP (Instituto Civil da Autodisciplina da Publicidade), além de uma contra-campanha da associação Panteras Rosa (imagem de destaque) e de críticas de um dirigente do Bloco de Esquerda.

Segundo explicou ao M&P Sara Martinho, autora da queixa junto do ICAP, o objectivo da campanha da Tagus, "explicitamente manifestado no site da Tagus, é promover o convívio entre jovens de sexo oposto. Contudo, a forma como a Tagus decidiu conduzir a campanha pareceu-me intencionalmente jocosa e provocatória pela negativa". A militante dos direitos LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transexuais), que aguarda agora por uma decisão do organismo auto-regulador, acredita que esta acção "brinca com uma realidade demasiado séria e referindo-se a uma característica, a heterossexualidade, que sendo dominante e aceite por todos à partida, não discriminada, não precisa de causa ou manifesto". Sara Martinho sublinha que "Falar de Orgulho Gay e Orgulho Hetero é, como, por exemplo, falar de Orgulho Branco e Orgulho Negro sendo o primeiro associado à opressão e discriminação que lhe é, a meu ver, correctamente imputada, e o segundo, visto como a luta por liberdades e igualdades plenas na sociedade". Daí que a marca nunca lançasse, refere, "algo semelhante intitulado Orgulho Branco, por exemplo. A Tagus seria a primeira a considerar a campanha como politicamente incorrecta". Contactados pelo M&P, os responsáveis da cerveja Tagus preferiram não comentar esta iniciativa junto do ICAP.

A campanha criada pela Lowe & Partners, que arrancou em mupis, pretende divulgar uma comunidade online que, e de acordo com o comunicado de imprensa distribuído à data, "vai ser a porta de entrada no mundo hetero". João Nuno Pinto, director de marketing de cervejas, águas e sumos não carbonatados do grupo Sumol, explicava no mesmo comunicado que, "de uma forma disruptiva, vamos baralhar alguns dos clichés existentes na sociedade e criar uma comunidade que se orgulha de ser heterossexual estabelecendo relações no site www.orgulhohetero.com".

tagus3.jpg

Mais críticas

A associação Panteras Rosas criou entretanto uma campanha online que pretende ridicularizar com o conceito desenvolvido pela Tagus. Segundo explicou ao M&P Sérgio Vitorino, dirigente desta associação de defesa dos direitos LGBT, a Panteras Rosa decidiu avançar com a iniciativa depois de receber várias mensagens "de pessoas que se sentiram agredidas nas ruas com esta campanha". "Temos de nos perguntar porque é que a Tagus decidiu pegar num tema como o Orgulho Hetero e não no Orgulho Branco ou no Orgulho Macho". Para Sérgio Vitorino, "decidiram fazer uma brincadeira, mas não há equivalência entre orgulho gay e orgulho hetero. O orgulho hetero não tem de ser afirmado", já que "além de ser hegemónico", faz parte da "linguagem de um partido de extrema-direita". Sérgio Vitorino sublinha ainda que "o orgulho hetero no extremo significa a violência sobre os homossexuais". "O lucro e a publicidade não justificam estas coisas", refere.

Outra voz contra a campanha da Tagus veio de João Teixeira Lopes, dirigente do Bloco de Esquerda. "O incitamento ao orgulho hetero caminha lado a lado com a linguagem do ódio e esconde o que, desde há milénios, significa a opressão ou a pura eliminação de todos os que ousaram tornar públicas as suas opções sexuais", considera o ex-deputado num artigo publicado ontem no site Esquerda.net, que remata, afirmando que "a cerveja Tagus tornou-se um signo do poder homofóbico. Quem a beber é cúmplice".

 

 

Retirado daqui

tags:
sinto-me:
música: Aretha Franklin - R E S P E C T

mais sobre mim
Maio 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


pesquisar
 
blogs SAPO