A escrever nas nuvens
comentar
publicado por Girassol, em 04.06.08 às 19:17link do post | favorito

Há um ano que tenho mandato para um processo crime e outro cível.

Os clientes foram informados que se me queriam contratar, teriam de me passar procuração e pagar os meus honorários.*

No dia 24 de Abril p.p. desloquei-me ao tribunal para inquirição de testemunhas, no processo de falsificação de documentos e burla.

Eu e os clientes/ofendidos estivemos lá das 14h30 até às 18h00.

Numa sala exígua e sem as mínimas condições de trabalho foram ouvidas as testemunhas, foram feitas as acareações e finalmente foram constituídos 4 arguidos.

Não vou discutir aqui as vicissitudes processuais de um processo que tão cedo não deve ter despacho de acusação.

Ao sair do tribunal referi que aconselhava a que requeressem o apoio judiciário para a sua constituição de assistentes e informei-os dos meus honorários pela minha intervenção ao longo daquela tarde.

Ficou agendado logo ali uma reunião para o dia 28 de Abril p.p. dado que não sabiam preencher os requerimentos e toda a documentação atinente à concessão, obviamente, estava na sua posse.

No dia e hora aprazados, nada comunicaram!

Pelo que tive de os contactar. Disseram-me que o carro os tinha deixado ficar mal, que pediam desculpa e se podiam agendar para o dia 5 de Maio p.p.

Anui, alertando para a entrada o mais rapidamente possivel do referido requerimento.

Escusado será dizer que a história se repetiu...

No âmbito do processo cível e respectivo apenso, recebi duas notificações a conferir-me prazos defensivos. A  26 de Maio p.p. comuniquei tal facto aos clientes, voltei a reiterar a necessidade da entrada urgente do famigerado requerimento bem como da sua presença para os elucidar qual o caminho escolhido para obstar às pretensões da parte contrária.

Agendou-se reunião para hoje às 15h00. Só para hoje? Sim. Eles alegaram que antes não  "lhes dava jeito". (sic)

Adivinhem quem teve de ligar e ouvir, mais uma vez, que o carro os tinha deixado apeados?

Adivinhem quem, até hoje, não recebeu um mísero tostão?

Amanhã está agendada a reunião substítuta.

Ora isto rima com filhos da truta!

 

 

 

* Actualmente, no âmbito do apoio judiciário, se uma pessoa quiser que seja determinado advogado a resolver os seus problemas judicialmente, tem de lhe passar procuração. Se o não fizer a Ordem dos Advogados nomeará um qualquer colega.

 

sinto-me:
música: Respect - Aretha Franklin

Gtontices a 4 de Junho de 2008 às 22:12
Os tempos andam dificeis para todos, mas as atitudes revelam o carácter das pessoas, e estes senhores não tem nenhum!

E pessoas dessas nao conseguem sequer RESPEITAR os outros!

MAS PRECISAVAM DUM CORRECTIVO.... HONORARIOS MAIS
PESADOS.

G.

mais sobre mim
Junho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
12
14

15
16
19
20
21

22
23
25
26
27
28

29


pesquisar
 
blogs SAPO